“COURO: ARTIGO SUSTENTÁVEL”

 Dez mil anos. Esse tempo surpreendente revela a idade da relação do homem com o couro. Implementado na nossa vida no tempo paleolítico como proteção para o frio, hoje ele ganha as vitrines e passarelas como uma das matérias-primas mais cobiçadas da moda — seja por sua beleza, seja por sua durabilidade.
Algumas particularidades e curiosidades envolvem a pele. Aliás, você sabia que ele é um artigo sustentável? Separamos essa e outras informações interessantes.
– Ao contrário da crença comum de que o couro não é uma matéria-prima amiga do meio ambiente, o uso da pele de produção sustentável resulta em um ciclo saudável. Hoje a indústria coureira usa o artigo de animais da indústria alimentícia.

– E por falar em sustentabilidade, o Brasil é referência no assunto aplicado a esse setor. A Certificação de Sustentabilidade do Couro Brasileiro (CSCB) foi criada recentemente para dar ao consumidor final a certeza que o couro que está consumindo é feito a partir dos três pilares da sustentabilidade: econômico, do meio-ambiente e social.

– O Brasil é o quinto maior produtor de couro do mundo, ao lado da China, Estados Unidos, Itália e Índia.

– Segundo Patrícia Vieira, um dos maiores nomes brasileiros associados ao trabalho com o couro, a indústria hoje está tão avançada tecnologicamente que já produz um tipo de couro que tem menos 40% de penetração de calor. Ou seja, chega da desculpa de que o couro é só para o inverno. O estilista Alexander Wang e a maison Hermès são alguns dos nomes que já apostaram na matéria para produções de verão.

– As peles especiais, como de Python, são regularizadas e controladas pelo IBAMA e pelo órgão internacional CITES. As empresas cadastradas precisam entregar relatórios anuais para controle e fiscalização. Essa atitude visa controlar o equilíbrio das espécies.